Entrevista

Em termos estéticos prefiro ambientes intemporais, que sejam difíceis de rotular a uma época específica

Profissão:
Designer de Interiores

Há quanto tempo envolve-se com decoração e como se interessou pela área?

Estou ligada ao mundo da decoração desde que me conheço por gente. Lembro-me de quando tinha 6/7 anos de sempre estar envolvida com tudo o que fosse passar da imaginação à concepção. Entretanto, dizer que desde pequena sempre soube que queria ser designer de interiores não é verdade, mas posso dizer que certos filmes que vi ao longo dos anos deixaram um vinco na memória por causa dos seus incríveis cenários, e podem muito bem ter contribuído para tornar-me uma profissional da área.

Os aspetos mais importantes de uma decoração:

Sem dúvida o cliente! É em torno dele que giram todas as decisões e escolhas. Depois há uma preocupação sempre presente em todo o processo criativo: conforto, funcionalidade dos espaços, corresponder sempre às necessidades de quem lá irá viver.

As inspirações para decorar:

As minhas inspirações vão além da minha área, elas vão por tudo o que se passa na moda, na tecnologia, na música, em todas as formas de arte (de fotografia à pintura)... Gosto de conhecer novos designers, materiais, criações... Essa procura constante acaba por me inspirar mutuamente, tanto que nunca me canso!

O processo criativo:

O meu processo criativo passa por algumas fases. A primeira começa logo de maneira inata quando conheço o cliente, ao mesmo tempo que ouço a sua explicação, começo a delinear mentalmente hipóteses e soluções relativas ao que ele me apresenta. Em seguida, há uma parte mais prática, onde faço estudos e pesquisas de peças até chegar a uma conclusão que tanto agrade a mim como ao cliente.

Do início ao fim como desenrola seus projetos decorativos?

Depois de conhecer o cliente, as suas necessidades e o espaço em questão, começo por fazer vários esboços e estudos em planta, até chegar à composição ideal. Segue-se a escolha de materiais, equipamento, revestimentos, mobiliário e têxteis e a sua introdução em 3D, que atualmente é fundamental, pois esta ferramenta aproxima-se bastante do resultado final e o cliente tem uma melhor perceção do que é proposto.

Depois de apresentado e aprovado, damos início às obras e encomendas que, consoante a dimensão do projeto, serão mais ou menos morosas. O desfecho de um projeto dá-se após todos os objetivos estarem concluídos e quando o cliente se encontra satisfeito com a concretização.

Prefere um ou vários estilos de decoração?

É óbvio que tenho meus gostos pessoais por alguns estilos, mas trabalho com vários. Temos sempre de ter a versatilidade e a capacidade de trabalhar bem os vários estilos, pois um cliente nunca é igual ao outro e desejam sempre projetos únicosl. Procuro sempre guiá-los dentro do estilo que escolheram, para não caírem no exagero.

Com que estilo de decoração mais se identifica?

Em termos estéticos prefiro ambientes intemporais, que sejam difíceis de rotular a uma época específica. Mas, se tivesse que escolher um, seria o Neo Vintage.

Espaço que mais gosta de decorar e porquê:

É difícil escolher, mas sinto bastante prazer em decorar quartos de criança. As crianças são os melhores clientes! Elas possuem uma imaginação incrível e vê-las surpresas com o resultado do quarto é impagável!

O que está in e o que está out em termos de decoração?

Não costumo seguir tendências, pois gosto de manter um estilo intemporal nos projetos decorativos, portanto definir o que está in é difícil. Entretanto, buscando fazer esta separaçaõ entre in e out posso dizer que in são as decorações bem pensadas e executadas, como por exemplo, o uso de madeiras naturais e lacados com cores fortes que estão surgindo com mais presença nos ambientes, assim como os padrões que acabam por proporcionar num espaço um aconchego a mais... ambientes bem decorados são in, o que faz ser out um ambiente sem decoração e nada pensado por um profissional de decoração.

Existe alguma cor, detalhe ou peça que utilize sempre nas suas decorações?

É natural o gosto por determinados elementos na decoração e também o uso destes elementos nos projetos decorativos. Tinha o hábito de inserir determinadas peças em quase todos os projetos, mas hoje faço uma triagem e coloco-as apenas em projetos específicos e somente para alguns clientes. Contudo, há um fio condutor em quase todos os meus projetos que acaba por identificar o meu trabalho, que é a predominância do branco com fortes apontamentos de cor.

 

Conheça os projetos decorativos de Rute Santiago

Curta Santiago - Interior Designer Studio no Facebook